Translate


Uma amizade muito especial

Voltava do trabalho em tarde de Sábado. O caminho que o ônibus fazia passava justamente pelo parque principal da cidade, parque este que um dia já representou dias gloriosos para mim, mas que hoje ao ver todos aqueles casais felizes, tornou-se um verdadeiro martírio. Porque às vezes é tão difícil encontrar a pessoa certa? Alguém que pergunte como foi seu dia, que lhe ofereça um ombro amigo. Fato é que estes questionamentos me percorrem há certo tempo, ando preocupado com isto.

Cheguei a minha casa e decidi ficar sozinho, peguei meu violão e no momento que tomei aquela decisão escutei a voz de uma grande amiga minha dizendo “Se você quer achar alguém precisa sair ... é só pegar umas periguetes”, o que me fez rir sozinho lembrando dela.

Encostei-me no sofá, o dia já dava lugar para a noite quando o telefone toca:

- Alô.
- Alex?
- Sim.
- Oi... é a Dani!

Nossa! Como era bom escutar sua voz, a Dani morava a 2 quadras da minha casa, conheci-a cerca de dois anos e tornou-se rapidamente uma grande amiga. Sempre conversarmos muito, ela é uma mulher linda, muito inteligente, brincalhona e apaixonada por seu “caso”, o Marcos.

Só que neste dia ela estava diferente, sua voz estava triste. Começamos a conversar e ela desabafou dizendo que havia pego o Marcos com uma sua melhor amiga. Situação difícil, mas com palavras de apoio, conselhos e abrindo seus olhos para o pilantra que na verdade ele era, aos poucos Dani passou a se sentir melhor e já voltava a brincar, até que no meio da conversa ela disse:

- Alex, pode continuar falando só estou tirando minha roupa, está muito quente... o telefone está no viva-voz, continuo te ouvindo...
- Uhmm trocando de roupa? Como você está neste momento?
- Alex, Alex...– dizia Dani sorrindo – Estou de calcinha e uma blusinha rosa de alcinha, sem sutiã, e agora... deitada no sofá falando com você.

- Uhmm que delicia e como é sua calcinha?
- Branca, de renda, bem pequenininha...
Sua voz começava se tornar mais sensual.
- Quero que faça uma coisa pra mim.
- Sim...
- Tire sua blusinha.
- Pronto, nossa! Meus seios estão durinhos....
- Agora deslize suas mãos sobre eles massageando-os e imagine como se fosse minhas mãos tocando-os com desejo... apertando seus biquinhos....

Dani gemia baixinho ao telefone.

- Uhmmm Alex, delicia...
- Deslize uma das mãos pelo seu corpo até adentrar sua calcinha... toque sua bocetinha, massageie seu grelinho pensando na minha boca a chupar sua boceta...
- Sim Alex, estou pensando em você me comendo bem gostoso.
- É mesmo sua putinha? E eu estou aqui tocando uma punheta imaginando te fodendo com força e depois fodendo este seu cuzinho apertadinho uhmmm que delícia!
- Sim Alex, sim, ahhh sou sua putinha, vem me fode! Estou socando meus dedos na minha menina pra você.

E assim seguimos naquela safadeza até ouvi-la gozar, eu acelerando minha punheta gozei instantes depois. Minha mão estava repleta de porra e ainda continuava com tesão. Foi então que meio a gemidos a ouvi dizer:

- Agora vem aqui em casa seu safado, vem me comer vem... vou deixar as chaves no portão, estarei debaixo do chuveiro te esperando.

E assim foi, ajeite-me rapidamente e fui à sua casa. E como dito, as chaves realmente estavam no portão. Entrei tranquei o portão e segui para o banheiro e foi lá me deparei com uma das cenas mais bonitas da minha vida! Dani estava encostada na parede com as pernas entreabertas e com o chuveirinho apontado para sua boceta. Sorrindo para mim, Dani mordia os lábios demonstrando todo o seu tesão.

Mais do que rápido tirei toda minha roupa. Ela me olhava sorrindo bem safada, largando o chuveirinho, virou-se de costas apoiando suas mãos na parede, empinou sua bundinha e começou a rebolar feito uma putinha, me olhava de ladinho, bem provocativa.

Muito me aproximando, encoxei-a e ela não parava de roçar sua bunda no meu pau já duro, pulsante. Tomei-a em meus braços e a beijei, minhas mãos subiam agarrando seus seios enquanto ela ainda rebolava no meu pau. Dani olhou nos meus olhos e com aquela voz gostosa disse:

- Me faz sua putinha....

Imediatamente fui ajeitando minha rola na sua bucetinha e socando. Dani passou a gemer intensamente a cada estocada, eu acelerava e começava a enfiar uns belos tapas em sua bunda, deixando verdadeiras marcas em sua pele branca.

A fiz gozar, ela começava a me chamar de tarado, gostoso e outros diversos nomes fazendo meu ego ir aos céus. Olhei aquele seu cuzinho, rosinha, que delícia! Não resisti, agachei-me, abri sua bunda e comecei a passar a língua nele fazendo-a se contorcer.

Levantei-me e fui logo ajeitando minha rola no seu cuzinho e depois penetrando-o, e ela mordia seus lábios e urrava de tesão. Com meu pau todo dentro do seu cuzinho voltamos a nos beijar e instantes depois comecei a bombar naquele cuzinho.

Não demorou muito e o ritmo tornou-se mais frenético, seguia aumento a intensidade das estocadas até não suportar mais e jorrar toda minha porra em seu cuzinho. E Dani rebolava sorrindo sentindo meu sêmen escorrendo por suas pernas.

Fiquei em sua casa até o dia seguinte. Assistimos há alguns filmes comemos pipoca e transamos a madrugada toda. Chegamos até a bater uma aposta. Correr até a metade da rua pelados! Eram umas 03hs da manhã ...rs e fizemos! Foi muito divertido, nunca me diverti tanto, acho que nunca uma pessoa me fez sentir tão bem.

*Conto escrito em Maio/2009 e reeditado em Dezembro/2015.
 
* Todos os nomes dos personagens, assim como de instituições utilizadas neste texto, são apenas nomes fantasias e não referenciam a nenhuma pessoa, local ou razão social.

** Participe deixando seu comentário no campo abaixo!


6 comentários:

  1. Muito boa essa amizade, pra lá de especial!!
    Bjsssssssssss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma amizade como esta é sempre muito bem vinda rs...
      Abs
      Dante

      Excluir
  2. Ah...essas amizades são as melhores,parabéns,me fez sentir no lugar da Dani.

    Beijinhos

    Anita

    ResponderExcluir
  3. Ah...essas amizades são as melhores,parabéns,me fez sentir no lugar da Dani.

    Beijinhos

    Anita

    ResponderExcluir

O que achou deste conto? Expresse a sua opinião comentando neste campo. O comentário pode ser feito até como Anônimo, basta selecionar a opção no campo abaixo (Comentar como:).

 

Quem sou eu...

Minha foto

Quero compartilhar através de minha escrita um devaneio de sensações, sentimentos e desejos. Sejam bem vindos e apreciem sem moderação.

Qual o seu Sexo?

Contato como o autor:

Nome

E-mail *

Mensagem *

O que achou do Visual deste Blog?