Translate


A Cidade do Pecado II

Dimensão Celestial

- Irmão Miguel quando me levará a Terra?
- Yasmim, você sabe muito bem que é ainda é muito jovem para conhecer os humanos, existem assuntos a qual você ainda não tem a maturidade necessária para compreender.

- Ah!!! Me leve junto com você Miguel!! Por favor!
- Não Yasmim, não seja teimosa! Agora preciso ir, vou me reunir com os guerreiros da luz e sinalizar a todos dos perigos eminentes na Terra.

Yasmim era a irmã caçula do poderoso anjo Miguel. E apesar de seus delicados traços ela era dona de um gênio difícil, não gostava nem um pouco das imposições que eram lhe dadas e sonhava em ser livre.

Vendo o irmão sair e deixando-a sozinha, Yasmim caminhou até os aposentos do anjo e logo notou que o anjo se descuidou ao deixar a porta aberta. O templo de Miguel sempre foi um local proibido a Yasmim e a qualquer outro anjo que não fosse um guerreiro da luz.

Empurrando a porta Yasmim foi adentrando com cuidado. E lá estava o poderoso portal, passagem entre o Céu, a Terra e o Inferno. Yasmim parou diante dele impressionada com as luzes que eram irradiadas. Foi então que repentinamente uma imagem apareceu para ela.

- Nossa, o que é isto?

*Paróquia São Francisco de Assis – 14h30min

- Padre, preciso me confessar.
- Sim minha filha, conte-me o que tanto lhe aflige.
- Padre, eu ando tendo algumas alucinações.
- E que tipo de alucinações?
- Sexuais, padre... aí, é tão difícil falar disto...

- Não tenha receio filha, desabafe estou aqui para lhe escutar.

- Sinto a presença de um homem por quase todos lugares que estou. Parece estar a me vigiar e as vezes – Flávia hesitou por um segundo, mas retomou – as vezes, ele me possui, me faz sentir desejos, ele me toca Padre e passo a desejá-lo também.

Do outro lado *Padre Jonas olhava-a pelos orifícios do confessionário. Era possível vê-la ajoelhada e sua inclinação e o decote da blusinha favorecia o olhar pecaminoso do padre a seus seios. Enquanto ouvia atentamente a história aquela mulher que até começava a chorar, Pr. Jonas apertava seu pau sobre a calça, completamente excitado.

- Não chore minha filha, tenha calma e me conte mais filha sobre estas sensações e como elas ocorrem.

- Não tem um momento certo padre, normalmente em meu apartamento. A última vez foi há três dias, antes daquela tempestade.

- Bom, e vocês?
- Ele me tocou, me beijou eu pude senti-lo! E eu me entreguei, quis que me possuísse, mas como Padre! Como posso desejar algo que não existe? Será o demônio? Não sei o que faço, estou ficando louca, tudo isto acontece de uma forma tão real que está me enlouquecendo...

O suor escorria pela testa do padre que segurando seu pênis seguia masturbando-se de forma animalesca.

*Rua. General de Assis. São Paulo, 14h35min

Lucas corria desesperadamente, tinha respiração ofegante e suas pernas já começavam a dar sinais de cansaço. E era assim quase todos os dias na saída da escola, pois constantemente Fred, Roberto e Bruno lhe faziam sofrer pregando diversas peças e humilhações, muitas vezes em público.

Virando em um beco, Lucas se escondeu atrás de um latão de lixo. As batidas do coração estavam aceleradas e sentia muito medo. Espiava com cuidado para ver se os garotos haviam desistido dele, mas eis que minutos depois aparece o trio.

Fred segurava um cabo de vassoura e dizia:

- Eu sei que você está aqui, não adianta se esconder seu gordo bundão! Para que dificultar as coisas Lucas? Iremos te achar de qualquer jeito e hoje tenho uma coisinha bem legal para você. – Dizia Fred ao andar pelo beco, logo atrás vinham Roberto e Bruno.

Agachado, e encolhido atrás da lata de lixo Lucas chorava. Ali sozinho começou a orar em voz baixa, pedia para que aqueles garotos lhe deixassem em paz, pois ele já não suportava mais tamanha humilhação. Foi quando de repente Lucas se assustou com gritos e um barulho ensurdecedor. Ao espiar viu um enxame de abelhas adentrando o beco e avançando para cima dos garotos.
Lucas olhava a cena apavorado até que para seu alívio viu os garotos saírem correndo levando com eles o enxame.

Encostando-se no muro Lucas fechou os olhos e respirou fundo, tentava controlar sua aflição. E foi ao abrir os olhos que se assustou ao ver diante de aquela garota de beleza extraordinária.

- Que... quem... quem é você? – Perguntou Lucas.

*Paróquia São Francisco de Assis – 14h45min

Fechando os olhos, Padre Jonas sentiu aquela delicada mão segurar seu cacete e aquela boca macia abocanhá-lo, passando a chupá-lo com vigor - Uhmmm isto filha... isto. – Ele dizia sentindo-a chupar seu pau – Sua putinha, isto... chupa meu pau, eu sei que é disto que você gosta...

Foi então que Padre Jonas sentiu um calafrio percorrer seu corpo ao escutar aquela gargalhada – Ei! Quem é você?

- Como assim Padre, sou eu, a Flávia, não está me reconhecendo? Ou o senhor me prefere assim... eihnn papai?

- Bi...Bi...Bia?

O coração do padre quase saiu pela boca quando viu sua própria filha diante dele. Bianca era fruto de um relacionamento com uma mulher casada que participava de uma paróquia onde esteve a quase vinte anos atrás, e este era um segredo que ele guardava a sete chaves.

- Assustado porque pai? – Ela perguntou sentando-se no colo do padre de frente para ele sorrindo de forma assustadora. Segurando o cacete dele ela o ajeitou em sua boceta e começou a cavalgar, e com os braços em volta do padre ela encostou seus lábios aos dele e o beijou – Me fode... papai... ela disse em voz baixa voltando a lhe beijar.

*No Beco... – 14h50min


- Não tenha medo, meu nome é Yasmim.

Lucas levantou-se.

Diante do humano, Yasmim olhou-o nos olhos e depois levou uma mão ao rosto dele acariciando-o. - Nossa! Como vocês são tão quentes –ela disse surpresa. Aproximando-se de Lucas ela o abraçou deitando sua cabeça ao ombro do garoto, que timidamente envolveu seus braços ao corpo dela abraçando-a também.

- Você é...? Um...?

Yasmim sorriu ao notar a curiosidade do garoto, olhou-o nos olhos novamente e respondeu – Sim, sou um anjo.

- Você que afastou os garotos?

- Lucas, foi a sua fé que afastou os garotos, eu só dei um jeitinho. Mas por favor, não conte a ninguém quem eu sou. Os anjos são proibidos de se apresentar aos humanos e eu posso ser expulsa do céu por isto.

- E porque se apresentou para mim? – Perguntou Lucas preocupado.

Yasmim ficou em silêncio, voltou a abraça-lo e ao pé do seu ouvido respondeu
– Eu não sei...

*Paróquia São Francisco de Assis, 14h53min

Foi então o corpo de sua filha aos poucos deu lugar ao belo corpo de Aaba. Um demônio fêmea, de beleza irresistível, cabelos vermelhos, olhos penetrantes. Seu corpo estava completamente nu e olhando-o nos olhos passava sua enorme língua em seus lábios, sedenta por sua presa.

Padre Jonas começou a sentir as batidas de o seu coração desacelerarem, sentia-se a cada segundo e a última imagem que viu foi sorriso demoníaco de Aaba apreciando a sua morte. Após sugar a alma do padre, Aaba olhou para aquela Flávia que saía da igreja, sorriu e depois transformou-se em um líquido negro como petróleo e infiltrou-se ao chão até sumir por completo.

Aos prantos Flávia seguia pelas ruas do velho centro. Havia abandonado o confessionário antes mesmo de ouvir o Padre Jonas, sentia uma energia ruim, o coração estava apertado, e agora tudo o que mais queria era ficar sozinha em seu apartamento.

Continua...
*Conto escrito em Novembro/2011e reeditado em Novembro/2015
 
* Todos os nomes dos personagens, assim como de instituições utilizadas neste texto, são apenas nomes fantasias e não referenciam a nenhuma pessoa, local ou razão social.

** Participe deixando seu comentário no campo abaixo!

0 comentários:

Postar um comentário

O que achou deste conto? Expresse a sua opinião comentando neste campo. O comentário pode ser feito até como Anônimo, basta selecionar a opção no campo abaixo (Comentar como:).

 

Quem sou eu...

Minha foto

Quero compartilhar através de minha escrita um devaneio de sensações, sentimentos e desejos. Sejam bem vindos e apreciem sem moderação.

Qual o seu Sexo?

Contato como o autor:

Nome

E-mail *

Mensagem *

O que achou do Visual deste Blog?