Translate


Seduzida por um Surfista



- E ai Nando! Beleza? Hoje as ondas estão iradas!

- Fala Duda my brother! Então vamos cair pro mar muleke! Sinto que hoje o dia promete, não sei por quê, mas promete.

- Te conheço Nando, no mínimo já avistou alguma sereia...

- Que mané sereia muleke! – Brincou Fernando jogando seu braço em volta da cabeça de Duda e dando-lhe uns cascudos – e deixa de blá, blá, blá que estou louco pra pegar umas ondas.
...
- Podemos ficar por aqui mesmo Bia? Alugo guarda-sol e ficamos numa boa.
- Tudo amor – respondeu Bianca tirando sua canga.

“Nossa que delícia! ”, disse Daniel a si mesmo ao se aproximar do casal que havia acabado de chegar, “Ah, esta faço questão de atender”.

- Olá, sejam bem-vindos, desejam um guarda-sol, cadeiras, beber ou comer alguma coisa?
- Sim moço, queremos um guarda-sol e cadeiras - disse Bianca sorrindo de forma simpática ao rapaz. Adriano encarava o garoto com seriedade percebendo-o olhar descarado para sua noiva.
- Por favor, coloque aqui o Guarda-sol e... Quer mais alguma coisa amor? – Perguntou Adriano.

 - Não, por enquanto não.
- Bom, eu quero uma cerveja bem gelada – pediu Adriano.
- Ah, mudei de ideia! Quero um suco de melancia – disse Bianca enquanto ajeitava seu biquíni.

 “Puta que pariu, parece que ela faz isto só pra me tirar do sério”, pensava Adriano ao vê-la sorrir para o garoto enquanto ajeitava a parte de cima do seu biquíni.
...

Carregando suas pranchas Duda e Nando caminhavam em direção ao mar.
- Duda, olha para aquilo ali mano... - Disse Nando admirando uma garota ajeitar seu biquíni.
...

Bianca aproximou-se de Adriano ficando na pontinha dos pés e com seus braços em volta do pescoço dele beijou-o.
...

- Ah, ah, ah, pode tirar o olho Nando, olha lá, está aí já tem dono. Agora vamos nessa que as ondas estão me seduzindo.
...

Colocando a canga na areia Bianca deitou-se e ficou olhando a paisagem. Adriano sentado numa cadeira de praia usando óculos escuros aproveitava a distração de sua noiva para apreciar algumas belas ninfetas que jogavam frescobol à sua frente.
...

Saindo do mar Nando deixou sua prancha na areia, percorreu seu olhar pela praia em busca daquela garota, em seguida desistiu e voltou para o mar, mas agora sem sua prancha.
...

- Amor, vamos entrar um pouco na água? – Perguntou Bianca.
- Ah Bianca, vou ficar por aqui mesmo, pode ir. Só toma cuidado o mar parece meio agitado.

Bianca levantou-se, ajeitou seu biquíni e partiu em direção ao mar.
“Aiiii que frio! ”, disse Bianca ao colocar seus pés no mar, em seguida mergulhou e começou a nadar. Assim que emergiu notou que perdeu Adriano de vista, mas pouco se importou e novamente.

De repente emergiu rapidamente ao sentir tocar em algo, e assim que tirou a água de seus olhos e os abriu, se viu diante de um homem que imediatamente lhe roubou a fala. 

- Desculpa moço, eu não te vi... – disse Bianca um pouco desconcertada.
- Sem problemas... bom, sou Fernando, conhecido apenas como Nando.
Bianca sorriu e respondeu, - Muito prazer, me chamo Bianca, mas pode me chamar de Bia.

- Está sozinha Bia? O mar está um pouco... – Opa! – Ele disse sorrindo segurando-a pela cintura assim que uma onda mais forte a trouxe junto se seu corpo.

Seduzida por aquele homem, Bianca deslizou sua mão pelo peitoral de Fernando e disse sorrindo – É parece que o mar está agitado hoje né? Estou com meu noivo, mas ele não quis entrar no mar. “Nossa que pegada”, pensava Bianca.
Com as bocas bem próximas, Bianca se via hipnotizada por ele, - Euuu... euuu...  – Bianca gaguejava ao falar – Eu preciso ir... meu noivo vai estranhar a demora. – ela disse, mas sem se afastar do surfista.

Levando sua mão ao rosto de Bianca ele encaixou sua boca à dela e não resistindo, Bianca deixou-se levar. Sentia a língua dele invadindo sua boca e tocando a sua língua de forma ousada, safada e provocativa.

E a natureza parecia realmente a favor da consumação daquele pecado, pois o mar não parava de lança-la junto ao corpo dele, fazendo-a sentir aquele membro totalmente enrijecido roçando em seu corpo.

Bianca já não tinha mais a firmeza dos pés no fundo do mar, impulsivamente entrelaçou suas pernas ao corpo dele. 
 
Liberando seu cacete Nando encostou-o a bocetinha de Bianca por cima do biquíni fazendo-a arrepiar-se por inteira ao senti-lo roçando em sua boceta. Ainda junto do corpo dele Bianca sentiu-o colocando seu biquíni de lado, naquele momento olhava para os lados e via algumas pessoas por ali, algumas pareciam não os notar, já outras Bianca tinha certeza de que sabiam exatamente o que estava acontecendo ali, e aquilo começou a deixá-la ainda mais excitada.

Olhando mais adiante Bianca teve a impressão de ter visto Adriano, ficou olhando-o, tentando reconhecê-lo, mas logo perdeu a concentração ao sentir aquele cacete invadindo-a.

Facilitando a investida de Nando, Bianca deslizou naquele cacete até tê-lo todo dentro dela, depois olhou para ele sorrindo, mordia seus lábios demonstrando seu tesão, e sem mais rodeios levou sua mão a nuca de Nando e beijou-o.

O mar estava arteiro e por diversas vezes lhe pregavam peças quando a maré abaixava e revelava para os mais curiosos uma bela cena de sexo.

Bianca gemia ao pé do ouvido de Nando, estava totalmente entregue aquele momento. Seguiram naquele ritmo até que Bianca sentiu um forte jato de porra tocar o fundo de sua bocetinha. Fechando os olhos e curtindo aquele intenso prazer Bianca chegou ao orgasmo quase que no mesmo instante.

Depois de se ajeitarem começaram a voltar para a praia, ao tempo todo trocando carícias e beijos.

- Preciso ir. – Disse Bianca olhando para Nando.
- Tem um clube de salsa no centro da cidade, aposto que você e seu noivo irão gostar de lá – disse Fernando segurando-a pela cintura e trazendo-a junto do seu corpo.

- Uhmmm é mesmo? Adoro dançar, ainda mais salsa, algo tão sensual, pena que meu noivo não sabe dançar – respondeu Bianca carregando um semblante safado e sorrindo para o surfista.

 Fernando sorriu e segurando-a pela nuca, a beijou.

- Uhmmmm...  tchau!! – Disse Bianca sorrindo. Segurando o rosto dele lhe deu um selinho e soltou-se dos braços de Nando afastando-se dele.

Ao chegar até Adriano, notou que ele estava dormindo sentado na cadeira de praia. Olhando-o com um sorriso arteiro deitou-se na canga. Em sua cabeça à do que acabara de acontecer não saiam um só minuto. “Até a salsa...” ela disse para si mesma sorrindo com o olhar perdido no mar.

*Conto escrito em Junho/2012 e reeditado em Setembro/2015

* Todos os nomes dos personagens, assim como de instituições utilizadas neste texto, são apenas nomes fantasias e não referenciam a nenhuma pessoa, local ou razão social.

** Participe deixando seu comentário no campo abaixo!

2 comentários:

  1. E me deu uma vontade de ir à praia...rs
    Muito excitante, aliás como sempre!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Sophia, fico contente em vê-la por aqui.

      Excluir

O que achou deste conto? Expresse a sua opinião comentando neste campo. O comentário pode ser feito até como Anônimo, basta selecionar a opção no campo abaixo (Comentar como:).

 

Quem sou eu...

Minha foto

Quero compartilhar através de minha escrita um devaneio de sensações, sentimentos e desejos. Sejam bem vindos e apreciem sem moderação.

Qual o seu Sexo?

Contato como o autor:

Nome

E-mail *

Mensagem *

O que achou do Visual deste Blog?