Translate


Luna Lee

Luna Lee, era assim que ela era conhecida pelos frequentadores do *The Lust Club

As noites de quinta já não eram mais as mesmas desde que ela começou a se apresentar no palco do *The Lust Club. Diferente da maior parte das stripper que simplesmente costumavam tirar suas roupas ao som de uma música sensual, Luna Lee tinha o erotismo e a sedução na medida certa, e transmitia muito bem em cada sorriso e em cada olhar.

O DJ da casa anunciava a apresentação de Luna Lee e imediatamente a atenção dos homens começaram a se voltar para o palco.

Em menos de 1 ano ela se tornou a stripper exclusiva do *The Lust Club, e apesar se já ter recebido diversas ofertas milionárias, Luna nunca vendeu seu corpo. Gostava apenas de dançar e seduzir aqueles homens, isto era o que a motivava a continuar o seu trabalho.

Finalmente os holofotes se acenderam, e naquele momento um silêncio surpreendente predominou por todo ambiente.

As cortinas se abriram, e o público avista um homem de terno sentado numa cadeira junto de uma mesa lendo alguns papeis mais ao canto do palco. Muitos se entre olharam estranhando o início daquela apresentação. Até que uma música sensual começou a ser tocada e Luna Lee surgiu no palco caminhando vagarosamente.

Luna estava esplêndida, com um salto alto, meias 7/8, uma saia social curta, camisa branca de botões e um casaquinho. Mantinha os cabelos presos num coque no alto da cabeça e certamente eu poderia resumir toda esta descrição dizendo apenas que se tratava de uma bela secretária sexy, um fetiche de muitos ali.

Ao se aproximar eles se entre olharam e ela começou a dançar. Seus movimentos sutis hipnotizam a qualquer um. Engatinhando sobre a mesa Luna Lee puxou-o pela gravata e o beijou, as línguas se entrelaçavam de forma ousada levando o público ao delírio com a audácia de Luna Lee.

Girando sobre a mesa, ela colocou um de seus pés na cadeira dele e o empurrou fazendo a cadeira correr para o meio do palco. Depois caminhou em direção a ele deixando seu casaquinho para trás, de frente para ele Luna continuou a dançar sensualmente, de frente para o público e olhando para todos intimamente ela abria os botões se sua camisa lentamente.

E assim seguia mais uma das mais excitantes apresentações de Luna Lee. Não era à toa que muitas das strippers da casa a invejavam, suas apresentações eram um verdadeiro espetáculo, as entradas no *The Lust Club começaram a ser vendidas a valores exorbitantes devido a procura e Luna continuava a conquistar seu público com sua sensualidade tão natural.

Numa mesa ao fundo do clube, acompanhado do seu velho e bom Johnnie Walker ele a assistia aquela apresentação apreciando todos os movimentos de Luna.

Deitada no palco Luna Lee permitia naquele momento que um dos homens que a assistia tirasse uma de suas meias. O jeito como ela envolvia todos era algo formidável, fazia com que eles fantasiassem ter com ela muito mais do que uma noite de sexo. Era muito comum pedidos de casamento, homens lhe trazerem flores e chocolate na tentativa de conquistar o coração daquela mulher.

A apresentação encaminhava-se para o final e Luna Lee apenas de calcinha percorria sem pressa seu olhar por todos, olhando-os nos olhos até por fim agradecer e sair do palco debaixo de calorosos aplausos.
....

Em frente ao espelho de seu camarim Luna Lee tirava sua maquiagem e ria sozinha lembrando-se das reações que havia despertado naquela noite.

- Rita, sabe onde está minha mochila? – Perguntou Luna ao ouvir a porta do seu camarim abrindo-se.

- Serve esta aqui?

Luna arrepiou-se ao ouvir aquela voz.

- Não acredito que você está aqui! – Ela disse ao vê-lo diante dela.

- Um velho amigo não merece um abraço?

Luna correu em direção a ele e logo se abraçaram demonstrando muita afinidade.

- Como senti sua falta... – ela disse olhando-o nos olhos, ele respondeu – Parabéns pela apresentação, você estava magnífica!

- Obrigada... 

- Depois desta super apresentação, você deve estar com fome, não? – Ele perguntou.

- Nossa! Morrendo de fome... vamos para o meu apartamento? Tem um macarrão delicioso esperando agente, o que acha? – Disse Luna com os olhos repleto de lágrimas.
...

Duas horas depois. Na cozinha do apartamento de Luna Lee...

- Uhmmm, vejo que seus dotes culinários melhoraram muito eihnn Dona Luciana – ele disse de forma sarcástica.

- Seu cachorro! Pode parar viu! Pois eles nunca foram ruins... – Luciana respondeu lhe dando um tapa no braço, e depois disse - Agora vamos para sala, temos muito para conversar...
Parando em frente ao seu micro system Luciana escolhia um artista em sua enorme coleção de CDs.

- Alex, por favor quero que fique à vontade, pode tirar estes sapatos, e abrir esta camisa, sem formalidades por favor... – ela disse enquanto ligava o som.

Depois de tirar os sapatos Alex sentou-se no sofá e a olhou dos pés à cabeça, era impressionante como ela continuava sensual usando apenas uma camisa, que pelo tamanho tornou-se um instigante vestido.

- Vai dançar para mim? – Ele perguntou enquanto olhava-a vindo em sua direção.

Parando diante dele ela brincou fazendo alguns movimentos levantando sua camisa e exibindo sua calcinha branca de renda, mas logo depois ela se jogou no sofá aos risos.

- Mas me diz, e você continua escrevendo aqueles contos que deixam agente de calcinha molhada? – Perguntou Luciana dobrando suas pernas em cima do sofá.

- Sim... não como antes, mas sim. Está para sair um livro meu, uma coletânea de contos – ele respondeu, enquanto percorria seu olhar pelo corpo dela.
- Nossa que legal! Sempre foi um sonho teu... fico feliz em saber que irá realizar.

Os minutos foram passando e eles seguiam conversando e rindo bastante, como nos velhos tempos e ainda acompanhados de um bom vinho que Alex havia comprado no caminho para o apartamento de Luciana. Em certo momento, após rirem de uma passagem cômica que haviam vivido há anos atrás, Alex e Luciana ficaram se entreolhando por um tempo e sem nada dizer.

- Faz tanto tempo que não nos vemos, mas continuo me sentindo tão bem com você Alex. Para mim é difícil tocar neste assunto, mas naquela época acabei fazendo uma escolha errada e te magoando muito, magoei justamente a pessoa que mais cuidou de mim, e até hoje não me perdoo por isto, principalmente da forma como ocorreu e agora, juro que não eu entendo o porquê você está aqui, pois apesar de estar adorando sua presença – Luciana sorriu timidamente e completou dizendo - sei que não mereço.

- Olha, eu sei eu nem deveria falar isto, ou até mesmo estar aqui, mas o fato é que depois que terminamos já tive alguns relacionamentos, mas nenhum me cativou. Sexo, este nunca foi um problema, só que faltava algo... aí me dei conta que em todas mulheres que eu estive, eu procurava algo de você... resumindo, eu nunca te esqueci... – disse Alex olhando-a nos olhos.

Um silêncio constrangedor pairou entre os dois. Olhares profundos e repletos de paixão, mágoas e esperança eram lançados entre eles, mas logo tudo isto deu lugar ao desejo e sem delongas atracaram-se em um beijo apaixonante. 

As mãos passeavam pelo corpo um do outro, sentindo-se, e aos poucos começam a despir. Sentando-se no colo de Alex, de frente para ele, Luciana ajeitou o cacete dele em sua boceta e deslizou por ele.

- Arhhh... quero ser sua novamente Dante... – ela disse sussurrando, fechando os olhos e apreciando aquele cacete percorrer profundamente sua boceta enquanto começava a cavalgar. Alex segurou firme seu cabelo, olhou a nos olhos e sem dizer uma palavra, a beijou com volúpia.
Alex e Luciana transaram durante quase toda noite, relembraram os velhos e bons jogos BDSM, até por fim adormecerem exaustos na cama de casal de Luciana.
....

11h da manhã

Luciana despertou com o brilho do sol que adentrava as frestas da janela de seu quarto ofuscando seus olhos.

- Nossa acho que apaguei... – disse Luciana olhando em sua volta – Onde ele está? Será que ele foi sem se despedir? – Perguntava-se ao notar que Alex não estava ali.

Levantando-se Luciana caminhou em direção a cozinha – Alex? Uoow, nossa! – Disse Luciana admirada ao ver aquele banquete de café da manhã, ao lado havia uma rosa e um bilhete.
Rapidamente Luciana pegou-o para ler.

“O Quarto 411 do Fetish Hotel está reservado para nós... esteja lá pontualmente às 23h de hoje e vestida com...”

Luciana sentiu seu sexo umedecer lendo aquelas instruções, as batidas de seu coração aceleraram e uma lágrima desceu de seus olhos feliz por senti-lo novamente em sua vida.


* Todos os nomes dos personagens, assim como de instituições utilizadas neste texto, são apenas nomes fantasias e não referenciam a nenhuma pessoa, local ou razão social.

** Participe deixando seu comentário no campo abaixo!

6 comentários:

  1. Ah Alex.....ainda na mente de muitas mulheres que tiveram o prazer de estar contigo...não importa a forma...deixastes tua marca.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parece me conhecer, saber quem eu sou ... pena que não deixou seu nome, contato...

      Excluir
    2. E obrigado por vir aqui, deixar seu comentário e principalmente por saber que de alguma forma parece que deixei uma marca...

      Excluir
    3. Se um dia quiser conversar, você sabe onde me encontrar...

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir

O que achou deste conto? Expresse a sua opinião comentando neste campo. O comentário pode ser feito até como Anônimo, basta selecionar a opção no campo abaixo (Comentar como:).

 

Quem sou eu...

Minha foto

Quero compartilhar através de minha escrita um devaneio de sensações, sentimentos e desejos. Sejam bem vindos e apreciem sem moderação.

Qual o seu Sexo?

Contato como o autor:

Nome

E-mail *

Mensagem *

O que achou do Visual deste Blog?