Translate


Tentações



“Safada...”, falou consigo mesmo enquanto olhava a filha da vizinha arrumar o quarto. A porta e a janela do quarto dela ficavam quase na mesma altura da janela de seu quarto, dando lhe total acesso a sua espionagem atiçando seu lado voyeur. E Álvaro tinha certeza que a safada sabia que ele estava ali olhando-a, pois ela parecia adorar provocá-lo com suas roupinhas curtas, e até mesmo de peças íntimas. Seu nome era Bruna, ou Bruninha como era conhecida por quase todo mundo.

Uma semana depois...

- É Dona Ângela, estou dando trabalho pra senhora né? – Ângela sorri e enquanto varre a poeira da cozinha e responde – Aí Seu Pedro, reforma é dose... mesmo fechando as portas não tem jeito, olha quanta poeira ainda entra...

- É mesmo... - diz Pedro percorrendo o olhar pelo corpo de Ângela.
- Bom dia amor, bom dia Seu Pedro...
- Bom dia patrão – disse Pedro ao vê-lo entrar na cozinha.
- Mor... você me leva mais tarde na casa da Aninha? Hoje vai ser o chá de bebê da filhinha dela.
- Hoje não dá. Devo chegar tarde do trabalho... tenho que terminar uns relatórios ainda hoje!
 - Ah Dona Ângela, dependendo do horário eu até te dou uma carona...
- Não, Seu Pedro não precisa....
- Tchau amor, até mais tarde... – disse Álvaro sem ao menos olhar nos olhos de sua esposa antes de sair para trabalhar.

Há dias sentia um certo desprezo por parte de seu marido, e a forma com que ele a tratou naquela manhã foi a comprovação de tudo, aquilo entrava uma facada no coração de Ângela. E assim que Álvaro partiu, Ângela licença a Pedro e saiu, entrou no banheiro e sentou-se em um canto chorando em silêncio.
....

- Bom dia Bruninha! – disse Álvaro passando seu olhar por todo o corpo daquela ninfa enquanto subia pela rua com seu Ford Fusion. Bruna usava um short legging e camiseta da escola. 

- Quer uma carona até a escola? – perguntou Álvaro com um sorriso sacana nos lábios.
- Aí vizinho, não vou te atrapalhar?
- Claro que não meu anjo, vem entre... - Álvaro abriu a porta e deslumbrou-se com a bela imagem daquela ninfeta entrando em seu carro. Em seguida olhou pelo espelho interno e certificou-se de que Ângela não estava vigiando-o do portão. 

Esforçando-se para dividir sua atenção entre a direção e as belas pernas daquela ninfeta, a via brincando com seus instintos. Certo momento a viu abaixar parte de seu short e calcinha exibindo o desenho de uma borboleta que havia tatuado escondido de seus pais. 

Na esquina da escola Álvaro parou o carro, seu cacete estava explodindo de tesão, queria levar aquela ninfeta direto para um motel, mas segurou-se.
- Obrigada Seu Álvaro ... – disse Bruninha aproximando-se dele e lhe dando um beijo no canto da boca. Percebendo o semblante bobo que Álvaro se encontrava, ela sorriu se divertindo com a situação, “mas é um palerma mesmo...”.

- Que tal agente tomar um sorvete mais tarde? Passo aqui na escola pra te pegar... – disse Álvaro.

- Uhmmm, quem sabe... – respondeu Bruninha em seguida saiu do carro despedindo-se de seu vizinho.

Durante a tarde...

- Vem tomar um café Pedro...
- Deste jeito a senhora está me deixando mal-acostumado...
- Gosto de conversar com você Pedro, é um homem muito atencioso, mas só tem um defeito...
- É? E qual é?
- Não para de me chamar de senhora! – disse Ângela sorrindo olhando-o nos olhos.

Enquanto tomavam café começaram a falar sobre relacionamentos. Pedro sempre demonstrou muita amizade e respeito, ganhando rapidamente a confiança da patroa. Neste dia, Ângela se sentia um pouco mais triste e confessou a ele que se sentia muito carente e que a tempos o marido não lhe dava carinho ou mesmo a procurava na cama. 

- A senhora está precisando é de alguém que a faça sentir desejada... – disse Pedro enquanto Ângela lavava alguns copos.
...

“Isto Bruninha... chupa... chupa tudo vadia... putinha... “
“Quer levar no cuzinho é?... Fica de 4 então sua vadia, vou te foder agora mesmo... uhmm q cuzinho apertadinho”...
...

- Ah Pedro! Olha pra mim... 30 quilos acima do peso, você acha mesmo que alg... Uhmmm... Pedro? – O que é... 

Antes que Ângela conseguisse questionar algo ela sentiu aquela língua invadindo sua boca com extrema luxúria, aquelas mãos apertavam-lhe os seios com tesão, enquanto o corpo dele a deixava na ponta dos pés com uma bela encoxada.

Ângela não resistiu à tentação, na verdade se quer tentou lutar contra. Apenas permitiu que ele a dominasse e tomasse seu corpo daquela maneira tão primitiva. Beijava-o como jamais havia beijado alguém, sentiu-se uma verdadeira puta em seus braços, e gostou daquilo. Sentir aquele cacete duro roçando em sua bunda desejando fodê-la com força a enlouquecia. De repente sentiu-o subir seu vestido e rasgar sua calcinha num apetite voraz e sem rodeios ajeitou meu membro e a penetrou até o fundo, fazendo sua boceta arder.
....

“Arhhh delicia... vou encher este cuzinho de porra sua safada... isto é pra você aprender não ficar me provocando de seu quarto...”.
...

- Annhhh... ahhnnn... – Ângela gemia sentindo o cacete de Pedro invadindo-a com brutalidade. Pedro aumentava a força das estocadas a cada minuto e ele seguiu metendo até que sentir as pernas dela tremerem e seus gemidos ficaram trêmulos, quase robóticos. Ângela estava gozando! Continuando a estocá-la Pedro logo gozou inundando sua boceta de porra.

Virando-se de frente para Pedro, Ângela olhou-o nos olhos, mordeu seus lábios e sorriu. Encostando sua boca a dela, Pedro a beijou com volúpia, ele tinha a pegada que Ângela gostava e que de tanto andava precisando.

- Vem comigo, vamos tomar um banho juntinhos... – disse Ângela ao pé de seu ouvido, Pedro retribuiu o sorriso e disse – Vamos que hoje você não me escapa, ainda vou foder este cuzinho bem gostoso...

- Aiii seu safado! Sou uma mulher casada viu! – disse Ângela sorrindo enquanto caminhava para o banheiro com ele a encoxando.
...

“Arhhhhhhhhhhhhhhhhh...”

Urrou Álvaro soltando um forte jato de porra. 

“Caramba Bruninha... você vai me deixar maluco ainda...”

Álvaro pegou o papel higiênico e limpou seu pênis e toda aquela porra no chão e na porta. Levantou-se, ajeitou sua roupa, e saiu.

- Oh Álvaro, tá de caganeira pô!! A reunião já vai começar, bora!

- Já estou indo... já estou indo... – respondeu Álvaro enquanto lavava suas mãos na pia.

** Todos os nomes dos personagens, assim como de instituições utilizadas neste texto, são apenas nomes fantasias e não referenciam a nenhuma pessoa, local ou razão social.

2 comentários:

  1. Muito bom.....muitas mulheres vivem isso no seu dia a dia....esperando um Pedro! Rssss.
    Beijos... I.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo comentário. E sim isto ainda é a realidade de muitas mulheres, particularmente não sou a favor da traição, mas tentações são tentações rs...

      Excluir

O que achou deste conto? Expresse a sua opinião comentando neste campo. O comentário pode ser feito até como Anônimo, basta selecionar a opção no campo abaixo (Comentar como:).

 

Quem sou eu...

Minha foto

Quero compartilhar através de minha escrita um devaneio de sensações, sentimentos e desejos. Sejam bem vindos e apreciem sem moderação.

Qual o seu Sexo?

Contato como o autor:

Nome

E-mail *

Mensagem *

O que achou do Visual deste Blog?