Translate


Comi a mulher do meu amigo!


Como de costume lá estava eu Domingo almoçando na casa de Thiago, um amigo de trabalho. Havíamos combinado de assistir ao jogo do Tricolor em sua casa, sempre fazíamos isto. E por esta razão em sua casa eu já era categorizado como “...de casa”, mas olha, preciso admitir que o que mais me motivava a frequentar sua casa era sua esposa Ana Flávia. Que delícia! 

Ana é maravilhosa, carinhosa, atenciosa, e dona de um corpo tentador. Na empresa Thiago vive relatando as transas com sua mulher e eu ficava desenhando e fantasiando, me vendo em cada um daqueles relatos. 

Neste dia notei um clima estranho. Diferente dos outros dias, ela falava pouco. Ana costumava ser muito divertida, brincalhona e naquele Domingo tudo estava anormal. Thiago por sua vez dava indícios que já havia bebido umas cervejas a mais, falava alto e sempre dava um jeito de chamar atenção. O almoço terminou e Thiago deitou no sofá, nem quis saber de ajudar com a louça como sempre fazíamos. 

Olhando nos olhos de Ana me ofertei a ajudar e na mesma hora ele aumentou o volume da TV numa altura descomunal. Senti que ela ficou sem graça, mas não liguei para a atitude dele. 

Quando cheguei a cozinha levando os pratos, Ana já havia começado a lavar a louça. Parado atrás dela fiquei a olhando dos pés à cabeça, que rabo! Como ela estava gostosa! Vestia apenas um short de cotton curtinho e uma camiseta regata branca. 

 Ana olhou para trás e me viu ali parado segurando os pratos, sorrindo me questionou: 

- O que houve Ale? Pode deixar os pratos aqui...

Retribui o sorriso e fui levando os pratos. 

Ao chegar junto de seu corpo encaixei-me ao corpo dela sentindo perfeitamente meu pau no meio de sua bunda, neste momento a ouvi sussurrar, e era tudo que eu precisava para avançar o sinal. Rapidamente fui com meus braços para frente e deixei os pratos na a pia. Sem dar tempo para questionamentos levei minhas mãos aos seus seios massageando-os sobre sua regata.

Novamente a vi sussurrar, só que agora empinava seu corpo e esfregava sua bunda com vontade no meu pau, que tesão! Assim que ela me olhou de lado sorrindo encaixei minha boca na sua e a beijei com volúpia. Entre um beijo e outro ela surrava dizendo que não podia, que era perigoso, mas não parava de me beijar e rebolar no meu pau.
Eu estava louco por aquela mulher e ao pé do ouvido disse a ela:

- Estou louco pra te foder...

O tesão era tanto que eu nem raciocinei o risco eminente que estávamos correndo, mas eu sabia que precisava ser ligeiro, então puxei seu short junto com a calcinha deixando-os os em seus joelhos e logo enfiei meus dedos na sua xaninha, estava lisinha e incrivelmente molhada. E assim eu não resisto, logo meti a língua em sua boceta chupando-a com vontade, e ela rebolava na minha cara segurando meus cabelos e acariciando-os.

Levantei-me, e enquanto nos beijávamos tirei meu cacete pra fora, Ana já muito esperta logo abriu um pouco mais suas pernas e assim que ajeitei meu pau segurei-a firme e a penetrei até o fundo, arrancando-lhe um belo gemido. Enquanto socava a rola na sua boceta, assistia sua angustia por ter que conter seus gemidos. Suas mãos agarravam meus braços e nesta hora senti suas unhas cravarem em minha pele demonstrando o seu tesão. 

Segui bombando cada vez mais forte, minhas mãos subiam por dentro de sua regata e agarraram seus seios, apertando-os com vontade, torcendo seus biquinhos fazendo-a se contorcer em meus braços.
Quando senti que estava para gozar, anunciei ao pé do ouvido, e ela disse:

- Goza em cima da minha bundinha vai...

Tirei meu cacete e me afastei um pouco, ela inclinou-se totalmente empinando sua bunda, e batendo uma punheta jorrei toda minha porra naquela bunda, batia meu pau melado nela que por sua vez rebolava bem gostoso.

Para não abusar da sorte, nos ajeitamos, e ainda trocamos alguns beijos e promessas de repetir a dose. Eu estava eufórico, não dava para acreditar no que aconteceu. Lavamos a louça e uns 10min depois o Thiago apareceu na cozinha, olhamos para ele acredito que com cara de assustados porque ele logo disse:

- O que foi gente? Só vim pegar uma cerveja!

Thiago pegou a cerveja na geladeira e disse que o jogo já iria começar então voltou para a sala. Assim que ele saiu do campo de visão nos agarramos em beijos e risos e enfiando minha mão por dentro de seu short e alcançando sua xaninha, ainda fiz gozar com meus dedos.
Fui para a sala assistir ao jogo, mas não tirava Ana da cabeça.

Depois ela chegou e ficamos assistindo ao jogo, mas na verdade eu não conseguia tirar os olhos dela, trocamos sorrisos safados quase o tempo todo. No final da tarde fui embora, mas certo que a teria novamente e foi o que ocorreu, mas isto conto em outra oportunidade.


** Todos os nomes dos personagens, assim como de instituições utilizadas neste texto, são apenas nomes fantasias e não referenciam a nenhuma pessoa, local ou razão social.

** Participe deixando seu comentário!

4 comentários:

  1. Como sempre muito bom....me fazendo viajar.....adoro vir aqui! Beijos....I.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu fico muito contente em saber que meus textos te fazem viajar, ...fantasiar... pois no final o objetivo é este mesmo, fugir um pouco do nosso dia-a-dia e embarcar numa fantasia gostosa. Obrigado por vir, e espero que volte sempre. Se quiser conversar, é só me escrever...
      Abraços
      Dante

      Excluir
    2. Rs....ainda me falta ousadia p tanto, Dante!....mas um dia quem sabe....obrigada! beijos....I.

      Excluir
  2. ouuu me deixaste curiosa.. J

    ResponderExcluir

O que achou deste conto? Expresse a sua opinião comentando neste campo. O comentário pode ser feito até como Anônimo, basta selecionar a opção no campo abaixo (Comentar como:).

 

Quem sou eu...

Minha foto

Quero compartilhar através de minha escrita um devaneio de sensações, sentimentos e desejos. Sejam bem vindos e apreciem sem moderação.

Qual o seu Sexo?

Contato como o autor:

Nome

E-mail *

Mensagem *

O que achou do Visual deste Blog?