Translate


Desejo Oculto

Duas Semanas após os acontecimentos de “Somente Sua, Dante... Apenas Sua...”.

- Dante... – Anna sussurrava seu nome meio a gemidos enquanto amarrada em sua própria cama sentia aquela pedra de gelo percorrer seu corpo.

Aquela relação tornava-se mais intensa a cada noite que passavam juntos e agora já não existiam máscaras, ambos já se encontravam entregues. Mesmo existindo poucos segredos entre os dois, Dante continuava com um ar misterioso e Anna sentia que não sabia tudo a seu respeito, tinha a sensação que ele carregava um grande segredo e isto a intrigava.

Na manhã seguinte Anna despediu-se calorosamente de Dante e em frente ao prédio ficou olhando-o até entrar no carro e partir. Depois em seu apartamento Anna tirou sua roupa, ficou apenas de calcinha e uma blusinha de alcinha. Ligou o som e enquanto ajeitava seu apartamento cantarolava e dançava ao som de Do you wanna Dance na voz de Johnny Rivers.

- Então é ele não é? É com ele que me traiu sua vagabunda!
- O que está fazendo aqui? – disse Anna assustada vendo-o entrar de repente em seu apartamento.

– Vadia!! – ele gritava enquanto segurando-a firme jogou-a na cama e enfiava-lhe tapas no rosto.
- Pare! Por favor! Está me machucando! – suplicava Anna.

Depois de rasgar a calcinha, ele virou-a na cama, ajeitou-se entre as pernas de Anna e ao tirar seu cacete para fora a penetrou por trás até o fundo. Naquele momento o mundo parecia ter parado, e a bela Do you wanna dance tornou-se uma canção assombrosa diante daquela cena de horror.

Com os olhos lacrimejados de amor e ódio ele seguia estocando-a forte.
 - Eu só queria que me amasse – disse quando soltou um forte jato de porra inundando a boceta de Anna.

Enquanto ajeitava sua calça ele a olhava com desprezo, e em seguida partiu deixando-a deitada em sua cama e mergulhada em um mar de lágrimas e tristeza.

Seis meses depois...

Sentado numa pequena poltrona Peristilo olhava Anna deitada em sua cama, “Nunca mais lavo esta minha camisa...”, falava pra si mesmo sorrindo enquanto subia o olhar por aquelas pernas parando naquela minúscula calcinha branca de renda. “Dante... aquele filho da puta!!”, ria sozinho mantendo seu olhar fixo naquela calcinha partida deliciosamente ao meio.

Lembrou-se dos dois chegando ao seu apartamento debaixo daquela chuva. “Ela só pode estar de brincadeira comigo... tirar a roupa na minha frente e ficar só de calcinha! Caralho, o que ela pensa? Que eu não ofereço perigo?”.

Peristilo levantou-se e se aproximou de Anna olhando-a louco de tesão. Cacete! Olha esta bocetinha!disse em voz baixa enquanto deslizava seu dedo cuidadosamente por aquela racha.

- Melhor eu preparar o café, senão acabo fazendo merda agora mesmo! – esbravejou Peristilo dirigindo-se a cozinha.
...

 - Bom dia Peris! – disse Anna chegando à porta da cozinha, continuava vestida com sua camisa.
- Bom dia meu anjo, você está bem? Apagou assim que deitou naquela cama.
- É que sua cama é muito gostosa!! Ah, obrigado pela camisa, ficou sexy em mim – disse Anna sorrindo e aproximando-se de Peristilo.
...

Na noite anterior Anna e Peristilo saíram para beber e rir um pouco. Como sempre se lembravam das confusões que já se meteram e também das boas amizades que fizeram ao longo daqueles anos.

Anna contava com brilho no olhar sobre seu relacionamento com Dante, das experiências com o mundo BDSM e sobre a grande noite do *Círculo Erótico que iria promover no *The Lust Club. Como de praxe naqueles encontros Anna acabou dormindo no apartamento de Peristilo, pois era muito tarde para percorrer a cidade sozinha.
...

Peristilo olhou-a enquanto vinha em sua direção.

Com os braços levantados a camisa ficou suspensa e sua bocetinha voltava a lhe atentar. “Ah quer saber... que se dane!”.

Abraçando-a Peristilo levantou-a junto do seu corpo, os lábios quase se chocaram, ela sorria como uma menina. Olhando-a nos olhos com um semblante safado Peristilo começou a soltá-la, deslizando-a pelo seu corpo até sentir aquela bocetinha roçar em seu cacete duro por cima do short.

- Arhh delicia! – disse Peristilo ao pé de seu ouvido apreciando aquele momento.

Mantendo-a um pouco mais naquela altura Peristilo roçou seu pênis um mais forte e ouviu-a soltar um gemido gostoso ao seu ouvido.

- Uhmm que cheiro bom, o que está fazendo? – Ana virou-se de costas olhando a frigideira tentando disfarçar o que havia acabado de acontecer.
- Omelete com queijo. Espero que goste – ele respondeu ajeitando seu cacete pra fora do short.

- Parece estar uma delícia... – disse Ana sentindo-o encaixar-se ao corpo dela e aquele cacete esfregando-se em sua bunda – Peris... – Ana tentou dizer algo, mas Peristilo segurou-a pelo cabelo, virou seu rosto e a beijou com volúpia.

Segurando-a em seu corpo Peristilo encoxava-a com fervor fazendo-a empinar seu corpo. Abrindo sua boca Anna recebia a língua safada de seu amigo sedento de desejo e mesmo com sua mente dizendo-a a si mesma que não deveria fazer aquilo, Anna se permitiu por um momento aquele contato e já sentia-o abaixando sua calcinha.

- Não Peris! – disse Anna interrompendo de repente o beijo e livrando-se dos braços de Peristilo.

- Porra Anna! Você está de brincadeira comigo!! – disse Peristilo sem hesitar.
- Pensei que fossemos amigos Peristilo – disse Anna ajeitando sua calcinha.

- Porra eu sou homem!! Eu tenho um pênis e gosto de boceta!! – gritava Peristilo e continuou – você troca de roupa na minha frente, vem aqui me abraçar usando esta, esta... – Peristilo a olhou e quase perdeu as palavras – esta calcinha, e não quer que eu sinta vontade de te comer!!

- Peristilo estou vivendo um novo momento e já basta o que aconteceu com... – Anna não conseguia dizer o nome daquele homem e concluiu – apenas não quero mais problemas...

Peristilo enfiou um forte soco no armário e olhando-a com raiva disse - Melhor você ir embora Anna...
...

“Meu Deus! Quanta confusão! O que estou fazendo de errado!!??”, pensava Anna enquanto pegava suas roupas na secadora. Depois de se vestir, saiu do quarto. Peristilo estava na sala assistindo TV e mesmo notando sua a presença ele não a olhava.

- Estou indo Peris. Olha, me desculpa, eu realmente não tive a intenção de...
- Anna, apenas tome cuidado, certamente não conhecemos totalmente uma pessoa e às vezes o lado oculto delas possa te trazer algumas experiências desagradáveis...

O tom de voz de Peristilo fez um calafrio percorrer seu corpo, “Nossa, ele nunca falou comigo assim”. Anna saiu do apartamento sem despedir-se e com a convicção de que algo mudaria a partir daquele dia.

*Conto dedicado ao Circulo Erótico.

* Circulo Erótico é um grupo de Escritores Eróticos criado por Narceja e Peristilo afim de discutir ideias, compartilhar experiências e aprendizado entre escritores do meio. O trabalho destes escritores poderam ser encontrados em no Blog do Circulo Erótico http://circuloerotico.blogspot.com.br/

*O trabalho de Anna pode ser encontrado em anaromanwriter.blogspot.com.br e o trabalho de Peristilo em http://contoslibetinosdeperistilo.blogspot.com.br/ 

** Participe deixando seu comentário no campo abaixo!

2 comentários:

  1. Muito bem escrito, Dante! Gostei dos mistérios. Curioso pelo resto.

    ResponderExcluir

O que achou deste conto? Expresse a sua opinião comentando neste campo. O comentário pode ser feito até como Anônimo, basta selecionar a opção no campo abaixo (Comentar como:).

 

Quem sou eu...

Minha foto

Quero compartilhar através de minha escrita um devaneio de sensações, sentimentos e desejos. Sejam bem vindos e apreciem sem moderação.

Qual o seu Sexo?

Contato como o autor:

Nome

E-mail *

Mensagem *

O que achou do Visual deste Blog?