Translate


A Despedida de Solteiro de Adriana

O casamento de Adriana estava próximo e por isto Alicinha, Niina, Rúbia, Renata e Raíssa conversaram e decidiram organizar uma despedida de solteiro para a amiga. O plano era simples, se reuniriam na casa de Raissa que se comprometeu a dispensar seu marido e liberar o apartamento só para elas, assim passariam a noite toda falando sacanagem, bebendo e rindo muito.

Na sexta-feira que antecedia o final de semana do casamento de Adriana, Raíssa chegou a seu apartamento e notou que seu marido já não estava mais lá, tudo conforme combinado. André iria passar a noite jogando bilhar com amigos. 

Como o plano era ficar em seu apartamento mesmo, depois de tomar um delicioso banho Raíssa vestiu apenas uma camisa de seu marido e uma minúscula calcinha de renda branca, e ficou aguardando suas amigas.
Por volta das 22hrs a o interfone toca, era o porteiro avisando da presença delas. 

Chegaram todas juntas, sorrindo muito. Alicinha era a mais extrovertida, tratou logo de ligar o som e colocar uma música animando o encontro. Trouxeram bebidas, algumas foram colocadas para gelar e as quentes eram imediatamente consumidas.

A noite ia passando, conversavam e riam bastante. Em certo momento Alicinha e Niina já totalmente entregues ao desejo de luxúria que a bebida proporcionava, se beijaram no sofá debaixo dos aplausos e gritos das amigas. As línguas se tocavam com desejo, interrompendo o beijo olharam uma para a outra sorrindo, mordendo os lábios e foi então que o interfone tocou e antes que Raíssa conseguisse levantar do sofá para atender, Alicinha soltou-se dos braços de Niina e correu para atender.

Todas olhavam para Alicinha sorrindo, sem entender aquele desespero repentino para atender o interfone.

- OK... Pode mandar subir – disse Alicinha e desligou o interfone. 

Alicinha voltou para as amigas rindo. Todas curiosas, perguntavam-na quem era, e ela só conseguia rir, mas depois disse - Ah não sei, parece que é um presente pra Adriana.

Raíssa sentada no sofá tomando sua tequila olhava para Alicinha desconfiada, até que a campainha soou.

Todas ficaram ansiosas e Alicinha disse:

- Adriana é melhor você atender, o presente é seu.

Adriana já se encontrava um pouco solta devido à bebida, caminhava até a porta sempre olhando pra trás sorrindo para as amigas.

Raíssa olhava atenta, viu sua amiga abrindo a porta. Eis que braços envolveram o corpo de Adriana e um homem lhe tomou o corpo beijando-a calorosamente. Adriana imediatamente correspondeu e era possível ver suas línguas entrelaçando-se em um beijo safado.

Enquanto beijava-a ele a levava para dentro do apartamento, Alicinha correu até a porta e fechou-a. Todas riam eufóricas, era um belo homem, dono de um corpo escultural. Vestia uma calça de malha azul, tecido fino, o volume que sua calça exercia era impressionante, usava também uma regata branca o que deixava a mostra um enorme escorpião tatuado no braço.

Alicinha foi até o som, trocou o CD neste momento Raíssa aproximou-se dela dizendo baixinho:

- Você é louca?  Se meu marido sabe que tinha um homem aqui ele me mata!- Relaxa amiga, será um segredinho nosso, aproveita!

Alicinha saía batendo palmas no ritmo da música, vendo sua amiga beijando aquele homem. Raíssa encostou-se na coluna vendo a cena e não acreditando, seu olhar percorria o corpo daquele homem por inteiro.

Soltando Adriana, ele olhou-a sorrindo. Segurando sua mão ele virou-se de frente para as outras ali presentes e encurvou-se fazendo reverência e dizendo – Meu nome é Oliver e estou aqui para realizar todos os dos desejos e fantasias de vocês.

Todas gritaram eufóricas e viram-no pegar uma cadeira que estava ali perto e colocá-la no meio da sala e em seguida pedir que Adriana se sentasse ali.
Adriana sentou-se, estava vermelha, já não conseguia nem sorrir com tanta facilidade, só quando olhava para suas amigas.

Oliver começou a dançar para Adriana, olhando-a nos olhos, todas olhavam a cena sem perder um movimento e Adriana não parava de olhá-lo. Mordia os lábios sentindo muito tesão, as vezes olhava pra suas amigas sorrindo e dizendo:

- Ai meu Deus ele é muito gostoso, mas eu não posso! - Elas riam e mandavam-na aproveitar.

Raíssa era a que estava mais distante mesmo assim não deixando de olhar o que acontecia ali em sua sala. Sentia seu sexo umedecer admirando aquele corpo que começava a mexer com suas fantasias.

Ele olhou para trás e fazendo sinal com o dedo chamou Rúbia, que ficou vermelha na hora. 

- Me ajuda a tirar esta camiseta? – perguntou Oliver.
- Claro – respondeu Rúbia olhando a sua boca.

Segurando a camiseta Rúbia foi puxando a para cima. Acabando de tirar a camiseta e ele a jogou para as meninas. Rúbia ficou olhando-o não resistiu em levar sua mão naquele peitoral e deslizá-la até o abdômen, tocando- com tesão.

Oliver sorria safado, agradeceu Rúbia e voltou a dançar para Adriana que delirava alisando seu peitoral e beijando-o. Segurando a lateral de sua calça em um movimento rápido Oliver tirou sua calça fazendo o coração das garotas quase saltarem pela boca. Adriana não resistiu e quando olhou para o volume daquele cacete, levou usa mão por cima da boxer e apertava-o com vontade.

As meninas vibraram e completamente molhada Raisa viu Adriana puxar a cueca de Oliver e liberar seu cacete. Ela o segurou sorrindo e logo o abocanhou-o começando a chupá-lo com bastante vigor. Oliver sorria olhando-a, arrumando o cabelo de Adriana, foi naquele momento que ele olhou para sua direita e avistou Raíssa um pouco mais distante olhando a cena. Seus olhares se encontraram, ele sorria, Raíssa retribuiu o sorriso timidamente sentindo suas bochechas corarem.

Adriana seguia chupando e punhetando-o até que Oliver gozou e Adriana não se fez por rogada e tomou toda a porra que saia aquele cacete.
Todas vibravam vendo a cena, Adriana o olhou sorrindo, limpando a sua boca e dizendo:

- Você é uma delícia, mas não quero mais do que isto...
Adriana levantou-se e abraçou-o, agradecia-o pelo imenso prazer, Oliver sorria e parabenizou-a pelo casamento. As meninas tentavam impulsioná-la a ir adiante, mas ela decidia dizia que não. 

Oliver abriu os braços sorrindo falando - Mas parou por quê?
Todas estavam extasiadas, quem seria a próxima? Todas o olhavam. Oliver então olhou para Raissa, sorriu, um calafrio tomou o corpo dela ao ver ele se aproximando, começou a andar em direção a cozinha dizendo:
- Não, não, eu não, não posso!

Todas riam e também a incentivavam. Oliver foi atrás dela na cozinha e as meninas seguiam também, porém foram interrompidas por Alicinha que pedia para elas ficarem na sala, Alicinha olhava pra trás com sorriso arteiro e depois se voltou para suas amigas dizendo:

- Vamos ver se ela vai resistir.
Raissa encostou-se no balcão na cozinha, olhou para trás levando a mão à frente e dizendo repetidamente - Não, não, não.... 

Oliver foi se aproximando, segurou sua mão e a colocou em seu peitoral passando-a nele. Raíssa olhava-o sem nada dizer, sentia sua buceta queimar de tesão, mas continuava esforçando-se em manter a postura.

- Qual o seu nome?
- Raíssa.
- Uhmm gostei de você. Será que eu poderia te dar somente um abraço? – perguntou Oliver olhando-a com um sorriso safado em seus lábios.
Raíssa não dizia nada, ficou sem reação ao ver Oliver envolvendo seus braços no teu corpo, abraçando-a, ela impulsivamente levou seus braços por cima dos ombros dele abraçando-o também.

Os olhares se encontraram, admiravam um a boca do outro. Os lábios foram se aproximando devagar até que finalmente se tocaram e imediatamente as línguas já procuravam uma à outra.  A intensidade daquele beijo crescia a cada segundo. Raíssa levava sua mão na nuca de Oliver subindo por seu cabelo e segurava-o firme.

Segurando a camisa de Raíssa Oliver abriu-a totalmente num só movimento. Por um segundo admirou com tesão, depois tomando-a nos braços passou a massagear lhe os seios, e abaixando-se um pouco começou a chupá-los e mordiscar seus biquinhos fazendo-a urrar de prazer.  

Raíssa o olhava com uma expressão safada mordendo os lábios se entregando ao tesão. Voltando a beijá-la com desejo, Oliver segurou sua calcinha e a puxou rasgando-a de forma impressionante. Naquele momento Raissa gemeu ao pé do seu ouvido e levou sua mão dentro da boxer dele segurando seu cacete e punhetando-o.

Segurando-a firme Oliver carregou-a colocando-a sentada sobre o balcão. Abrindo-lhe as pernas e ele levou sua boca a buceta e começou a chupá-la. 
Suas amigas continuavam na sala bebendo e rindo bastante com exceção de Alicinha que havia pedido um momento para elas dizendo ir ao banheiro, e do corredor com suas mãos dentro da calcinha, tocava-se intensamente espiando os dois na cozinha.

Oliver tirou sua cueca de forma mágica ficando completamente nu e Raíssa completava o seu cacete sorrindo safada. Aproximou-se, Oliver segurou-a pela nuca e voltou a beijá-la. 

Segurando seu cacete Oliver o levou até a buceta de Raíssa passando a cabeça dele no grelo, esfregando-a ali. As batidas do coração de Raíssa iam a mil, estava ansiosa por senti-lo dentro dela. Levando seu cacete na entrada e começou a enfiar a cabeça, foi entrando, depois a tirou, fazendo Raíssa enlouquecer, repetia isto esfregando a cabeça do seu cacete na entrada da buceta dela. 

Não suportando mais, Raíssa começou a implorar:

- Por favor, mete, me come bem gostoso... vai...

No corredor Alicinha sentiu seu ombro ser tocado. Assustou-se e quando olhou para o lado viu Niina empurrando-a na parede e encostando seus lábios nos dela. Começaram a se beijar, as línguas encontravam-se safadas deixando o beijo tarado e gostoso.

Niina levou sua mão na buceta de Alicinha alisando-a, massageando seu grelinho e depois deslizou seu dedo para a entrada enfiando um dedo e passando a boliná-la.

Raissa já sentia aquele imenso cacete de Oliver rasgando-a, fazendo-a delirar, ele seguia metendo forte fazendo a virar os olhos. Raissa mordia seus lábios olhando-o pedia para meter ainda mais forte. Oliver olhava-a, sorrindo e beijava-a, mordiscando seus lábios e atendia seu pedido metendo forte, acelerando as estocadas a cada minuto.

Niina agachou-se e abocanhou a buceta de Alicinha com muita vontade que por sua vez jogou uma de suas pernas sobre o ombro da amiga abrindo-se um pouco mais, assim conseguia sentir a língua de Niina penetrar-lhe de forma impressionante.

Oliver tirou seu cacete e colocou Raíssa de volta ao chão, pediu que virasse de costas, ela obedeceu apoiando-se no balcão e empinando sua bunda. 
Olhava para trás safada, nunca havia se sentindo assim, aquela sensação era muito prazerosa. Oliver voltou a esfregar seu cacete na buceta de Raíssa até penetrar-lhe firme, voltando a estocá-la forte, enfiava-lhe uns bons tapas na bunda e não parava de meter.

- Uhmmmm nossa Niina, você me fez gozar.

Niina levantou-se sorrindo e beijou-a, depois ao pé do seu ouvido disse:
- Você não viu nada, que tal agente sair daqui e ir para um motel, só eu e você?

Alicinha sorriu. As duas olharam ao mesmo tempo para Oliver e Raíssa na cozinha, e voltaram o olhar sorrindo um para a outra.

- Vamos, você me deixou curiosa agora. – disse Alicinha.

As duas saíram e juntas. Depois de espiarem e verem Raíssa bastante ocupada, as outras também acabaram indo embora logo depois.

Oliver aumentava o ritmo das estocadas, suas mãos massageavam com tesão os seios de Raíssa que começou a gemer mais forte até não aguentar mais e gozar urrando intensamente. Logo depois Oliver gozou dentro dela fazendo sua porra escorrer pelas pernas dela. Raíssa e Oliver ficaram por um tempo na cozinha, trocando carícias, notaram o silêncio na casa e deram-se conta que estavam sozinhos. Riram juntos da situação.

Depois foram para a sala onde ficaram por um bom tempo apenas conversando, tomando um vinho e trocando beijos. Até que Oliver disse que precisava partir.

Na porta vendo o sair, Raíssa disse:

- Será que te vejo de novo? 

Oliver nada disse, apenas lhe deu um último beijo e saiu deixando-a suspirando junto a porta.

*** Este relato foi escrito em Maio/2011 e reeditado em Maio/2014 sem deixar que perdesse sua essência.

* Todos os nomes dos personagens, assim como de instituições utilizadas neste texto, são apenas nomes fantasias e não referenciam a nenhuma pessoa, local ou razão social.

** Participe deixando seu comentário no campo abaixo!

4 comentários:

O que achou deste conto? Expresse a sua opinião comentando neste campo. O comentário pode ser feito até como Anônimo, basta selecionar a opção no campo abaixo (Comentar como:).

 

Quem sou eu...

Minha foto

Quero compartilhar através de minha escrita um devaneio de sensações, sentimentos e desejos. Sejam bem vindos e apreciem sem moderação.

Destaque:

Não me provoque!

Era um Sábado a tarde quando amigos e familiares se reuniram na casa de Bianca e Carlos para comemorar com eles os cinco anos de casado....