Translate


Dante

- O que você quer de mim? – perguntava Yasmim que se encontrava ajoelhada, vendada e com seu corpo completamente nu com exceção de seus pés que continuavam em suas sandálias de salto alto. Com seus braços, tornozelos e pescoço presos com correntes numa coluna de ferro atrás dela, Yasmim ouvia atentamente os passos dele, nenhuma de perguntas não eram respondidas.

Yasmim tentou lembrar-se de como foi parar ali, mas a última coisa de que se lembrava era de estar chegando a seu carro no 3° Subsolo do estacionamento da Empresa onde trabalha e de ter sigo pega repentinamente por trás por alguém que colocando-lhe um pano em seu nariz logo a fez desmaiar.

- Quem é você? Me solta seu louco!

- Silêncio - Aquela voz firme fez Yasmim arrepiar-se e imediatamente ficar em silêncio, sentia-o junto ao corpo dela, um misto de nervosismo ansiedade e medo tomavam-na. Yasmim sentiu a mão dele segurando seu queixo e levantando seu rosto, sentia-o se aproximando; até os lábios dele tocaram o seus, num primeiro instante Yasmim evitou-o, porém aquele perfume, ela conhecia, e aquilo fez com que se excitasse e aos poucos começava a beijá-lo.

Enquanto ele subia sua boca pelo pescoço dela, ela meio a sussurros novamente perguntou, mas agora ao pé do ouvido dele – O que você quer de mim? 

- Não quero te machucar, apenas seja uma boa menina e satisfaça todos os desejos do seu Dono.
Yasmim urrou de prazer ao ouvir aquilo, em seguida sentiu a boca dele novamente encaixando-se a sua, enquanto beijavam os dedos começaram a tocar sua boceta massageando-a, e depois a penetrando com dois dedos.

- Quem é você? Perguntou Yasmim enquanto gemia sentindo os dedos dele penetrando-a.

- Você deverá me chamar apenas de Dante.

- Sim... Dante - respondeu Yasmim gemendo, sentindo muito prazer. Yasmim sentiu-o segurando seu rosto e em seguida seu sexo enrijecido encostando-se a seus lábios e abrindo sua boca Yasmim o recebeu, agora tinha em sua boca o sabor daquele misterioso homem que a dominava daquela forma, tomava seu corpo e conseguia deixá-la incrivelmente excitada.

- Boa menina – dizia ele admirando-a.

Yasmim chupou-o até fazê-lo gozar, ela sentia aquele sêmen escorrendo por sua boca, caindo sob seus seios e o silêncio que se seguiu após aquela cena começava deixá-la constrangida. Não o sentia mais ali próximo dela e um devaneio de pensamentos e sentimentos inundavam Yasmim deixando-a confusa.

Aproximando-se novamente de Yasmim ele soltou-lhe as correntes que lhe prendiam, com a ordem que ela permanecesse imóvel. Após soltar as correntes ele postou-se a frente dela e lhe colocou uma coleira no pescoço, em seguida segurando-a pela nuca a fez agachar-se como um animal.

- Venha comigo – ele ordenou e começou a puxá-la, fazendo-a engatinhar atrás dele.

Depois de alguns passos ele parou e disse: 

- Levante-se.

Yasmim levantou com certa insegurança, mas insegurança esta logo perdida ao sentir as mãos dele segurando-as dela ajudando-a levantar-se. “Este perfume... eu o conheço”, pensava novamente Yasmim tentando desvendar o mistério daquele homem, o fato de saber que o conhecia lhe trazia segurança e ainda deixava o jogo extremamente excitante. 

- Não ouse retirar sua venda fui claro? Espero não precisar de te disciplinar hoje – disse ele conferindo o quanto segurava estava a venda.

- Sim – ela respondeu arrepiando-se com aquelas palavras. Em seguida sentiu-o carregar seu corpo e entram então numa banheira. Ele limpou-a com cuidado, passava o sabonete por todo corpo de Yasmim, seu toque a deixava muito excitada, nunca havia sentido um prazer tão intenso como aquele.

Segurando-a pela nuca ele a beijou, Yasmim sentia o seu sexo esfregando-se em sua boceta, então ao pé do ouvido dela ela disse:

- Permita-me que eu lhe retribua o seu carinho... meu Dono...

Ele parou por uns instantes apenas a olhando e acariciando seu rosto até responder que “Sim”, e assim que teve sua permissão Yasmim segurou aquele cacete ajeitando-o a sua boceta e deslizou por ele. Yasmim cavalgava e gemia ao pé do ouvido de seu Dono, naquele momento sentia-a se safada e esforçava-se para satisfazer aquele homem.

Ao ouvi-lo urrar de prazer ela aumentou a intensidade e o beijou com volúpia até que por fim gozaram juntos, de forma muito sincronizada e perfeita. Yasmim sentia suas pernas tremerem e abraçava-o com ternura, e este carinho era diretamente retribuído ao sentir a mão dele afagar sua nuca.

Depois da banheira, ele carregou-a até outro cômodo, deitou-a em uma cama e com uma toalha a secou com bastante cuidado, depois também a vestiu por completo.

Guiando-a com ela ainda vendada colocou-a sentada no banco de trás de um BMW preto, depois deu a volta e entrou no carro partindo com ele. Yasmim permaneceu imóvel e sem nada dizer, pensava que deveria estar sentindo-se insegura, mas a forma como ele a tratava era inspiradora.
Algum tempo ele parou o carro e disse:

- Assim que descer feche a porta e retire a venda, fique tranquila que está em um lugar seguro e reservado. Como o seu carro ficou em sua Empresa, um táxi estará aqui pela manhã para levá-la para o seu trabalho, agora pode sair.

As batidas do coração de Yasmim aceleraram, desejava perguntar seu nome, pegar seu telefone, saber se ao menos o veria novamente, mas não fez, saiu do carro como ordenado, e assim que fechou a porta retirou sua venda, olhou aquele carro, não o reconheceu de nenhum lugar e parada a um quarteirão do prédio onde mora ela o olhava partir.

Assim que entrou no prédio Seu Conrado, o porteiro a chamou e lhe entregou um pacote, disse que havia chegado durante a tarde. Yasmim agradeceu, mas nem deu muita atenção, só conseguia pensar em tudo que havia acontecido naquele dia.

Em seu apartamento, depois de tomar um banho ela olhou para aquele pacote e resolveu abri-lo, era uma caixa preta. Abriu-a e viu que havia algumas peças de roupa, e um cartão por cima, resolveu abrir o cartão primeiro.

“Quero que esteja vestida com estas roupas amanhã em seu trabalho...”.

Yasmim sorriu, parecia até conseguir ouvir aquelas palavras sendo ditas por ele ao pé do seu ouvido.

** Todos os nomes dos personagens, assim como de instituições utilizadas neste texto, são apenas nomes fantasias e não referenciam a nenhuma pessoa, local ou razão social.

** Participe deixando seu comentário no campo abaixo!

9 comentários:

  1. Vou voltar aqui mais tarde para ler com calma, vim dar uma olhada enquanto respondo o mail. Gostei!

    ResponderExcluir
  2. Tô querendo um Dante assim...

    ResponderExcluir
  3. Wowww...perfeito,não tem nenhuma palavra que descreva esse conto além de perfeito,vou agora ler a continuação.

    Parabéns,você sabe como envolver as pessoas,acho que todas queriam um Dono como o Dante. rsrs

    Beijinhos

    Anita

    ResponderExcluir
  4. Obrigado Anita, espero sempre vê-la por aqui... e principalmente espero continuar sempre agradando e excitando-a com meus contos...

    ResponderExcluir
  5. Comentado por: valentina_c em: 05/04/2016 no site ContoErotico.Com
    Na minha opinião, você é o melhor escritor de contos bdsm! Sou sua fá desde sempre. Super votado!

    ResponderExcluir

O que achou deste conto? Expresse a sua opinião comentando neste campo. O comentário pode ser feito até como Anônimo, basta selecionar a opção no campo abaixo (Comentar como:).

 

Quem sou eu...

Minha foto

Quero compartilhar através de minha escrita um devaneio de sensações, sentimentos e desejos. Sejam bem vindos e apreciem sem moderação.

Qual o seu Sexo?

Contato como o autor:

Nome

E-mail *

Mensagem *

O que achou do Visual deste Blog?